Professores perseguidos: Vladimir Herzog

Vladimir Herzog: breve passagem pela ECA antes de ser assassinado

Poucos que cursaram a ECA sabem que o jornalista Vladimir Herzog também foi docente da instituição. O desconhecimento não surpreende: além de ter sido curta a atuação do jornalista como professor da ECA (de agosto a outubro de 1975, quando foi morto nas dependências do DOI-Codi), a direção da escola na época praticamente apagou todos os registros de sua passagem por lá. As parcas informações a respeito vêm de depoimentos de antigos alunos e colegas.

Herzog deu aulas de Telejornalismo. Ele já havia sido docente na Faap e aceitara lecionar na ECA depois de a escola ter perdido vários professores. Alguns já tinham sido cassados (veja aqui no blog os outros textos sobre professores cassados) e outros pediram demissão naquele ano, depois que o colega Sinval Medina fora reprovado, arbitrariamente, numa prova de qualificação para o mestrado.

Herzog era diretor de jornalismo da TV Cultura. Segundo sua mulher, Clarice, ele gostava de dar aulas para ter contato com os jovens. Na ECA, o jornalista ainda nem havia sido contratado, lecionando voluntariamente – um acerto até comum na época, segundo a colega e professora Alice Mitika Koshiyama.

Vlado entrevistando população local em Nova Canudos em fevereiro de 1975
Vlado entrevistando população local em Nova Canudos em fevereiro de 1975

A ECA vivia um ano agitado. No primeiro semestre de 1975, uma greve dos estudantes paralisara a instituição por 73 dias. Eles reivindicavam a saída do diretor, Manuel Nunes Dias, considerado colaborador da ditadura.

A escola (assim como muitas faculdades ligadas ou não à USP) voltaria a parar nos dias seguintes ao assassinato de Herzog, em 25 de outubro. Por medo, poucos alunos e colegas foram ao seu enterro – e ninguém representando a direção da escola. Clarice Herzog jamais receberia os votos de pêsames da instituição.

No relatório das atividades do Departamento de Jornalismo, enviado todo ano às instâncias superiores da USP, também o nome de Herzog não apareceria na lista de docentes que lá atuaram. Segundo a professora Alice, os colegas chegaram a acrescentar seu nome no rascunho do documento, mas ele acabou suprimido no texto oficial.

Em 2012, Vladimir Herzog foi homenageado num reencontro da turma de 1972, a única para quem deu aulas.

Fontes

Beatriz Vicentini: ECA de Manuel Dias e Helda Barracco apagou os vestígios de Herzog, Revista Adusp, outubro de 2012

José Chrispiniano e Cecília Figueiredo: A ECA é o principal foco de agitação da USP, Revista Adusp, outubro de 2004

Alice Mitika Koshiyama: A prática política para ser jornalista

Fotos:

Foto 1: Cedoc/TV Cultura

Foto 2: Acervo Vladimir Herzog


Não há intenção de violação de direitos autorais.

Compartilhe
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco − um =